Refrescante e doce, mas de cenoura? Sim esse é kulfi indiano!

credito da foto: funandfoodcafe.com

credito da foto: funandfoodcafe.com

Esta é uma adaptação ao Kulfi de cenoura do site Panelinha para os veganos e vegetarianos.

Uma receita prática, rápida e muito saborosa para o verão. Um picolé diferente e levinho, com um toque indiano que só o cardamomo pode dar. Continuar lendo

Você é um viciado, aceite isso!

Autor: KEDOUK, MARCIA Editora: SUPER INTERESSANTE Assunto: Dietas

Autor: KEDOUK, MARCIA
Editora: SUPER INTERESSANTE
Assunto: Dietas

“Prato sujo” é o nome de um livro lançado em 2013, pela editora Super Interessante, um tanto estarrecedor quando falamos sobre alimentação e qualidade de vida. A sinopse do livro já é um caso a parte… Vejam:

“Sexo, dogs e hot roll! Começou com um docinho depois do almoço. Depois, era batata frita a semana toda. Essa é a história de um cérebro viciado e prostituído: ele sabe que salada é mais digna para a saúde, mas gosta mesmo é de açúcar, sal, gordura, farinha refinada – substâncias que dão tanto prazer quanto sexo, com um poder viciante comparável ao de drogas como a cocaína. A indústria da comida se aproveita dessa nossa fraqueza neurológica para tornar seus produtos cada vez mais irresistíveis, com doses cavalares desses aditivos. E pagamos por isso com a nossa saúde. Aqui você vai entender como realmente funciona essa indústria. E, para não dizer que não falamos de couve-flores, este livro também traz descobertas fresquinhas da ciência que podem revolucionar sua dieta. Bom apetite! Ou não.”

De uma forma geral, a autora Marcia Kedouk estudou e pesquisou como a indústria de alimentos manipula de forma leviana seus produtos de modo a nos tornarmos escravos, obesos e enfermos desta grande máquina de vendas que chamamos de sociedade moderna.

Vale a pena ler e tirar suas próprias conclusões. O problema será encarar aquele bolinho que você com certeza escondeu na bolsa para comer mais tarde… rs

Sexta-feira promete! Veggieburguer de lentilha picante

IMG_20150213_060724A dieta ainda pode ser mantida mesmo quando você tem aquela vontade de comer um lanchão de trailer. A diferença é que podemos comer algo muito saboroso e com baixo teor de gordura.

Este veggieburguer ainda por cima é termogênico, pois tem pimenta defumada e alto teor proteico, além de vitamina B6.

Uma ótima opção de lanche se for acompanhado de pão integral, alface, tomate, cenoura etc, e um suco energético bem gelado. Veja as receitas de sucos

Aproveitem a dica e me contem como foi. abraços.

Veggieburguer de lentilha picante

Ingredientes

  • 2 xícara de lentinha cozida*;
  • 1 dente de alho picado;
  • 1/2 cebola picada;
  • 1 colher de sopa de molho de pimenta tipo chipotle defumado;
  • 1/2 colher de sopa de páprica picante;
  • 2 colheres de sopa de amaranto;
  • 2 colheres (sopa) ervas frescas (salsinha, cheiro verde e manjericão) picadas
  • 2 colheres (sopa) Azeite de Oliva
  • 2 a 4 colheres de sopa de farinha sem glúten (farinha de mandioca, preparado sem glúten, etc)
  • Sal e pimenta-do-reino moída grosseiramente a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, refogue a cebola, o alho, o amaranto no azeite em torno de uns 2 minutos e reserve.

Disponha uma xícara lentilha em uma tigela e com a ajuda de um garfo, amasse-os até alcançar uma textura meio homogênea. Se preferir pode usar um processador. Junte o restante da lentinha e misture bem.

Junte o refogado, as ervas, a páprica misturando tudo. Acrescente aos poucos a farinha e continue misturando. Quando atingir uma consistência de massa de modelar está pronto.

Adicione o sal e a pimenta a seu gosto.

Depois é só modelar os hambúrgueres, coloque-os sobre uma assadeira forrada com papel manteiga, e leve ao congelador por pelo menos uns 20 minutos antes de fritar, grelhar ou assar.

Esse passo é importante para que o hambúrguer não desmanchar todo na hora de prepará-lo.

Rendimento: 5 hambúrgueres.

*
Dica: se preferir pode cozinhar a lentilha com 2 folhas de louro. Dá um sabor mais acentuado.

Voltei!!! Agora pra ficar!

Veggieburguer de Grão-de-bico

Veggieburguer de Grão-de-bico

Desculpem leitores o hiato tão longo, sem escrever nada… Muita coisa rolou, mas estou de volta com muitas outras “koizas” pra apresentar a vocês.

Marcando esse retorno, segue a receita do Veggieburguer de grão-de-bico, que fica muito boa por sinal…

Veggieburguer de grão-de-bico

Ingredientes

  • 1 xícara de grão-de-bico cozido;
  • 1 cenoura ralada fininha;
  • 1/2 cebola picada;
  • 1 colher de sopa de alho frito;
  • 1/2 pimentão vermelho bem picado;
  • 2 colher de sopa de amaranto;
  • 2 colheres (sopa) ervas frescas (salsinha, cheiro verde e manjericão) picadas
  • 2 colheres (sopa) Azeite de Oliva
  • 2 a 4 colheres de sopa de farinha sem glúten (farinha de mandioca, preparado sem glúten, etc)
  • Sal e pimenta-do-reino moída grosseiramente a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, refogue a cebola, o pimentão, o amaranto e a cenoura no azeite em torno de uns 3 minutos e reserve.

Disponha o grão-de-bico em uma tigela e com a ajuda de um garfo, amasse-os até alcançar uma textura meio homogênea. Se preferir pode usar um processador.

Junte o refogado, as ervas, o alho frito misturando tudo. Acrescente aos poucos a farinha e continue misturando. Quando atingir uma consistência de massa de modelar está pronto.

Adicione o sal e a pimenta a seu gosto.

Depois é só modelar os hambúrgueres, coloque-os sobre uma assadeira forrada com papel manteiga, e leve ao congelador por pelo menos uns 20 minutos antes de fritar, grelhar ou assar.

Esse passo é importante para que o hambúrguer não desmanchar todo na hora de prepará-lo.

Rendimento: 6 a 5 hambúrgueres.

Ótimo para sanduíches e acompanhar saladas.

Faça, prove e depois me conte como foi. Abraços!

Carnaval acabou e o ano começou!

Estamos no final de fevereiro e podemos dizer com muita felicidade que o ano começou.

Mas como esquecer a festa de alegria que rolou nos carnavais pelo Brasil. Como não costumo viajar nessa época, por motivos óbvios, tive tempo e paciência de analisar os acontecimentos mais absurdos.

Os tops para destacar foram 3: Dr. Rey, Valesca Popozuda e o quiproco na apuração do carnaval de São Paulo.

Dr. Gay, quer dizer Dr.Rey participou intensivamente na programação da RedeTV fazendo análises criteriosas das garotas da passarela que aportavam por ali. Não é a toa que essa emissora está em decadência…

O mais interessante foi a suposta empolgação do cirurgião plástico ao carimbar os traseiros, como se marcasse gado. Confesso que ri muito vendo as cenas!!!

Por conta dessa massificação da plástica as mulheres estão virando verdadeiras bonecas infláveis, ou melhor dizendo, bonecas de silicone.

Falando em silicone, a ex-fazendeira e cantora de sucessos como “Comece a me chupar” e “Late que eu tô passando”, a funkeira Valesca Popozuda, mostrou muito mais que o de costume no sambôdromo.

Após um close uterino ficou mais do que claro que tudo que sobe tende a descer, como diria o sábio Newton. O popozão da moça parecia estar derretendo enquanto ela sambava. A foto não deixa dúvida do quanto de silicone tinha naquela gaiola.

A Estrela poderia contratá-la para lançar um novo produto para as crianças funkeiras, o Kit SuperMassa Popozeira! kkkk

Mais o que emocionou o Brasil mesmo e confesso que a mim mesmo, foi Tiago Faria, o integrante da escola de samba Império de Casa Verde ter rasgado as notas lidas durante a apuração do carnaval de São Paulo, na terça-feira.

Com tanta patifaria essa foi a mais divertida! Carnaval é uma industria de dinheiro e claro que ninguém quer sair no prejuízo.

Infelizes das pessoas que realmente se dedicam o ano todo ensaiando e produzindo o desfile, trabalhando dia e noite para mostrar com orgulho o resultado. Pena mesmo! Se ao invés disso o esforço fosse totalmente voltado para o combate ao narcotráfico e incentivo educacional das comunidades o futuro de muitos seria diferente.

Realmente não consigo gostar de Carnaval… Temos acidentes brutais, alcoolismo, drogas e violências das mais diversas, decorrentes da liberdade que a maioria acha que tem nesta época.

O delírio do povo é sambar ebriamente e pular no passo frenético dos atabaques e tamborins, na tentativa vã de esquecer os problemas do cotidiano. Enquanto empresas, cartolas do samba e emissoras de TV enchem os bolsos de grana.

É isso povão vamos trabalhar?

Do-it-yourself repair!!!

Esse é o lema do IFixit.com, um site que oferece gratuitamente diversos tutoriais que ensinam, por meio de imagens e pouco texto o seu aparelho eletrônico – seja ele uma torradeira, uma lava-louças, um laptop, uma câmera digital, um iPhone ou um iPad.  Até o menos habilidoso pode a consertar-los sozinho.

Pense bem… Os aparelhos eletrônicos já são peças constantes na nossa vida, e o que acontece quando acabam nos deixando na mão?  Compramos outro aparelho, pois pagar por um conserto, muitas vezes, vale menos a pena. Desrta forma, aumentamos a cada dia, o problema do lixo eletrônico no mundo.

O portal facilita a vida de muita gente e, ainda, nos ajuda a economizar dinheiro, mas a grande intenção dos criadores do iFixit é reduzir o consumo de produtos eletrônicos – que demandam uma porção de recursos naturais, como água, cobre, petróleo e zinco, para serem fabricados – e, ainda, ajudar a minimizar o e-lixo no planeta, que constantemente é descartado de forma incorreta pela população, ocupando espaço nos aterros sanitários e contaminando o solo e a água.

Vamos lá gente tire do sótão ou quartinho aquele monitor velho e corra para o site. Quem sabe o na próxima vez que navegar na net, você não esteja usando ele?

IFixed.com

Falando em tóxicos…

A beleza sobrenatural que a sociedade em geral pretende atender, não leva em consideração os prejuizos constantes a saúde humana.

Pele mais sedosa e sem manchas, cabelos cintilantes e hidratados, labios volumosos e estonteantes, corpo escultural,  livre de estrias e celulite. Meu Deus!!! É uma deusa!!! Mas por quanto tempo? Isso mesmo, por quanto tempo?

A maioria dos cosméticos e tratamentos disponíveis hoje para tornar esssa “garota nota 1000” realidade, possuem em sua composição produtos químicos nocivos a saúde, que nem sequer são regulamentados pelos orgãos públicos. Felizmente existem empresas que tem a preocupação de elaborar produtos conscientes desde sua concepção.

O video abaixo faz parte de uma série do projeto The Story of Stuff project, idealizado e narrado pela norteamericana Annie Leonard. Os videos buscam explicar de forma clara como funciona o sistema de diversas cadeias de produção e o impacto direto a sociedade como um todo.

Uma opção para ajudar a escolher de maneira mais segura seus produtos consulte o Catálogo Sustentável.

Um abraços e boas compras verdes!